As quatro mentes incomensuráveis.

   A felicidade só é possível com o amor verdadeiro. Ele tem o poder de remediar e transformar a situação ao nosso redor e dar um profundo significado à nossa vida. Existem pessoas que conhecem a natureza do amor verdadeiro e sabem como gerá-lo e nutri-lo. OS ensinamentos do Buda sobre o amor são claros, científicos e aplicáveis. Todos nós podemos nos beneficiar deles.
  No tempo do Buda, os brâmananes rezavam pedindo que depois da morte pudessem ir para o céu e viver eternamente com Brahma, o Deus universal. Um dia, um brâmane perguntou ao Buda:
   - O que posso fazer para ter certeza de que estarei com Brahma depois que morrer?
   - Como Brahma é a fonte do amor, para morar com ele você deve praticar as brahmaviharas: amor, compaixão, alegria e equanimidade - o Buda respondeu. 
   Vihara é a habitação, ou lugar para morar. Em sânscrito, amor é maitri; em pali, é metta. Compaixão é karuna nos dois idiomas. Alegria é mudita. Equanimidade é upeksha em sânscrito e upekkha em pali. Os brahmaviharas são os quatro elementos do amor verdadeiro. São chamados "incomensuráveis" porque à medida que os praticamos eles vão crescendo dentro de nós até abraçarem o mundo inteiro. Nós nos tornaremos mais felizes, e o mesmo acontece com as pessoas que nos rodeiam. 
   Como o Buda respeitava a vontade das pessoas de seguirem a sua própria fé, ele respondeu à pergunta do brâmane encorajando-o a agir assim. Quem gosta de meditação sentada deve praticar a meditação sentada. Os que preferem a meditação andando devem optar por essa modalidade. Mas a pessoa tem que preservar suas raízes judaicas, cristãs ou mulçumanas. Essa é a maneira de seguir o espírito de Buda. Quem é arrancado das suas raízes não consegue ser feliz. 

Thich Nhat Hanh em "Ensinamentos sobre o amor".       

Comentários