Oitenta e quatro mil portas...

   O único objetivo do budismo ao tratar das emoções é nos liberar das causas fundamentais do sofrimento. Parte-se do princípio de que certos eventos mentais são pertubadores, não importando a intensidade ou o contexto em que surjam. Esse é o caso dos três processos mentais considerados como os "venenos" mentais básicos: o desejo, no sentido de "sede", ânsia, avidez que atormenta; o ódio, desejo de ferir, de fazer sofrer; e a ilusão, que deforma a nossa percepção da realidade. O budismo geralmente acrescenta a esses três estados mentais o orgulho e a inveja; junto eles constituem os cinco venenos maiores, aos quais se associam cerca de sessenta estados mentais negativos. Os textos sagrados se referem também a "oitenta e quatro mil emoções negativas". Elas não são especificadas em detalhes, mas esse número simbólico dá uma idéia da complexidade da mente humana e nos convida a compreender que os métodos para transformar a mente devem se adaptar à enorme variedade de disposições mentais. É por essa razão que o budismo fala das "oitenta e quatro mil portas" que levam ao caminho da transformação interior.

Matthieu Ricard em "Felicidade: a prática do bem-estar".

Comentários